Candidatos ao concurso público da Guarda Municipal de Manaus aguardam uma decisão


Há praticamente quatro meses, candidatos ao concurso público da Guarda Municipal de Manaus aguardam uma decisão sobre nova data para a realização do concurso que foi cancelado, por suspeita de fraude, pela Secretaria de Administração (Semad).
O órgão cancelou o certame realizado no dia 18 de março, segundo ele, em decorrência de o Instituto de Planejamento e Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico e Científico (Ipad), não ter apresentado defesa às acusações de possíveis fraudes envolvendo o certame. O Ipad teria sido notificado por meio dos ofícios municipais de números nº 1746 e nº 1752 de 21/3/2012.  
Após o episódio, o titular da Semad, José Antônio de Assunção, coordenador dos concursos promovidos pela Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), garantiu que um novo certame seria realizado, sem prejuízos para os candidatos inscritos no processo. “Assim que for definida a nova entidade executora, iremos comunicar os inscritos e dar continuidade ao cronograma”, afirmou Assunção.
O desempregado Janderson Lima, 24 anos, que diz se sentir lesado pela a organização do concurso vive a expectativa da nova realização do certame. “Nós fomos lesados nesse concurso. “Sempre acompanho nos sites sobre esse concurso, pra ver se já tem alguma novidade, pois não sabemos se vai ocorrer mais”, diz. “Acho que nós fomos lesados nesse concurso”, completa o candidato.
Ele ressalta as dificuldades que passou por contas dos gastos e da preparação em cursinhos. “Estudei muito para me preparar. Os gatos foram altos. Acho que eu seria aprovado”, colocou.
A estudante Maria Eduarda Campos, 22 anos, disse que observou questões repetidas no caderno das provas, de uma apostila de um curso preparatório, que teria sido comercializada em Manaus. “O concurso começou com problema na prova. Eu fui um dos candidatos a perceber as questões idênticas de Matemática as da apostila do cursinho. Acredito que o órgão deveria ser o punido por isso, não os candidatos”, disse.
A candidata moradora do município de Iranduba (distante a 27 km de Manaus) frisa que os gastos para participar do certame foram autos. “Teve gastos com aluguel de um local para guardarmos nossas coisas. Gastos com alimentação e locomoção e da nossa estada em Manaus. O que mais indigna é que a prefeitura não dá nenhuma resposta”, desabafa.
Para a estudante, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), deveria fiscalizar com rigor a realização dos concursos municipais. “O MPE precisa inspecionar de uma forma mais eficaz esses concursos. Os concursos da prefeitura de Manaus estão sendo marcados por incompetência”, declarou.
Fraude
O certame, realizado para o provimento de 293 vagas apresentou nove de suas 19 questões de Matemática copiadas de uma apostila produzida pelo Centro Educacional Preparatório para Concursos (Cepcon), segundo denúncias de candidatos.
Uma ação foi arrolada no Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) para apurar as possíveis irregularidades no concurso. O órgão ficou de enviar nota de posicionamento após contato da reportagem com a assessoria de comunicação.
Resposta
O acritica.com entrou em contato com a Secretária Municipal de Administração (Semad) na manhã desta quinta-feira (5), por meio da assessoria de imprensa, solicitando novas informações sobre o andamento do processo. O órgão ficou de enviar um nota de posicionamento, após levantamento das informações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARTICIPE, DEIXE SEU COMENTÁRIO

Concurso para Guarda Municipal de Curitiba, Clique logo abaixo: