Guarda Civil Municipal de Taboão da Serra

Na manhã desta quarta-feira, dia 4 de julho, o Tenente Coronel da Reserva, Silas Santana, atual secretário de segurança pública de Taboão da Serra concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal O Taboanense sobre diversas novidades e assuntos polêmicos que envolveram a Guarda Civil Municipal nos últimos meses.

Entre os temas abordados estão o número de homicídios na cidade que cresceu nos últimos meses, os investimentos em tecnologia para as viaturas, coletes a prova de bala com a validade vencida, recrutamento de novos policiais e recursos do governo federal para a estruturação da Guarda Civil Metropolitana no município.

A seguir, a entrevista:

O Taboanense: Atualmente muitas pessoas conseguem acessar a rádio frequência da polícia, interferindo no trabalho de vocês. Uma solução para o problema seria a implantação do sistema de rádio digital, que impossibilita interferência de sinais cruzados e que dá acesso a toda a região. Existe alguma previsão para que a cidade de Taboão da Serra receba esse recurso tecnológico?  


Coronel Silas: a implantação da rádio digital está em fase de concretização. Pois a parte de licitação já foi feita e a empresa já foi homologada na questão de equipamentos e materiais. Mas, esse procedimento precisa da autorização da Anatel, pois é a responsável pelo funcionamento dos canais para a Guarda Municipal. Segundo a empresa, o Luiz, que é o proprietário, diz que essa autorização gira em torno de uns 45 dias, mais ou menos. Saindo essa autorização, em aproximadamente dois meses estaremos com todos nossos rádios digitalizados, inclusive com os Tablets em nossas viaturas.
De onde exatamente vem o investimento para a implantação desse sistema? 
O investimento é verba federal. É um investimento que foi liberado em novembro do ano passado no valor de R$1.432.000,00 do Ministério da Justiça.

Esse investimento foi feito apenas para a Guarda Civil Municipal ou também para a Polícia Militar?
Apenas para a Guarda Civil Municipal.
Coronel Silas, como você descreve o atual sinal de transmissão analógico da polícia na cidade?
No nosso sistema analógico de hoje, a maior parte da cidade não consegue pegar o sinal. Cerca de um ou dois quilômetros daqui, o rádio já não consegue funcionar com a nossa Central. Por isso que vamos implantar o novo sistema digital, com a implantação de três antenas nos pontos mais altos da cidade, a recepção e a rapidez da comunicação vai ser espetacular.

Em relação ao contingente de viaturas que a GCM possui, hoje, qual o número de veículos que estão nas ruas e se há previsão de compra de novos veículos?

No momento, temos 19 viaturas na cidade. Referente ao problema das novas aquisições, nós acabamos de enviar para Brasília um novo projeto para a criação de uma inspetoria de trânsito e meio ambiente. Na criação desse projeto, estamos pedindo cinco viaturas grandes (caminhonetes com cabine dupla), oito viaturas de pequeno porte e duas motos, para fazer frente a essa demanda para cuidar especificamente do meio-ambiente e trânsito de Taboão da Serra.
Já existe previsão para a chegada dessas novas viaturas?Não existe uma previsão, pois depende da liberação do Ministério da Justiça. Mas, o importante é que o projeto já foi encaminhado e, agora, vai para a análise deles.

Como está sendo a seleção de novos profissionais que vão compor o plantel da GCM?

No último dia 29 de junho, foi homologado o concurso de mais 59 GCMs, que foram aprovados. Além disso, temos 10 guardas que estão se formando, nesta semana, em avaliação feita em Osasco. Inclusive, nós vamos dar posse para eles no próximo dia 17 de julho no Cemur e a solenidade será feita às 9 horas da manhã. Já a contratação dos 59 GCMs aprovados, ainda depende da iniciativa do prefeito para convocá-los para tomar posse, pois isso incide em gasto público.
Existe uma denúncia que alguns guardas estariam usando coletes à prova de balas com a validade vencida. Caso essa informação seja verdadeira, quais são as providencias a serem tomadas na compra de novos equipamentos de segurança?

Infelizmente nós temos guardas que estão com os coletes vencidos e, um caso curioso, de um guarda que se negou a entregar esse colete para a gente. Nós fomos até a sua casa para retirar o equipamento, mas ele não quis entregar para a gente. A gente até suspeita que essa pessoa tenha dilacerado o colete e criado essa situação desconfortável para a Guarda Civil, já que temos esse compromisso de fazer as trocas de armamento e colete. O problema é que essa troca de equipamentos depende da autorização do exército. Nós fazemos o pedido e só podemos adquirir com a autorização do exército. Acabamos de fazer uma solicitação, há alguns meses, de 120 coletes, porém o exército só nos autorizou 105, devido a casos de incineração do material. Só para você ter uma ideia, nós deveremos receber os 120 coletes nesta sexta-feira, mas só temos autorização de disponibilizar 105 para as tropas. Nós também solicitamos 35 novas pistolas, mas também estamos aguardando autorização.
O número de homicídios em Taboão da Serra aumentou bastante nos últimos cinco meses. Existe alguma justificativa para a crescente de crimes na cidade?
O aumento no número de homicídios não é competência do município e sim do Estado. Mas, isso não é exclusividade de Taboão da Serra. Você pode pegar o mapa da Secretaria de Segurança Pública e perceber que toda região da Grande São Paulo, entre elas Guarulhos e Osasco, o índice de crimes está aumentando, principalmente no furto de veículos. Eu acredito que no crime organizado deve estar havendo alguma disputa entre eles e quando ocorre isso a sociedade não é tão atingida. O maior número de homicídios e crimes é entre os próprios bandidos. Então são as pessoas mais envolvidas no crime que estão morrendo.
Você disse que a maioria dos crimes é entre os próprios membros do crime organizado. Mas, como poderíamos entender alguns casos de ataques a policiais, como o que aconteceu recentemente no São Judas, quando foi arremessada uma granada na residência de um GCM de Embu. O policial acredita ter sido vítima do PCC, sendo assim, existe alguma hipótese dos bandidos querer entrar em confronto com as autoridades de segurança, também?
Tenho a impressão que isso não acontece no Taboão. O caso da granada aconteceu na casa do GCM Inspetor Cruz, que é da Guarda Municipal do Embu. Ele mora no Taboão, mas não é da nossa guarda. É um bom inspetor e uma pessoa que a gente conhece, mas pode ter sido um fato isolado. Mas, a polícia deve fazer uma investigação em cima disso, pois as pessoas têm sempre o costume de colocar todos os ataques em cima do PCC. Essa competência não cabe a nós e sim à polícia civil.

Em relação a nova sede da Guarda Civil Municipal, você aprovou a nova localização? Atende todas as suas necessidades?

A sede está bem localizada, sim, e o prédio é bastante confortável, porém seria necessário um pátio para treinamento de guardas, viaturas e direção defensiva, mas Taboão da Serra não dispõe de um espaço disponível para isso. Mas, a base acaba se virando bem. Quando temos alguns treinamentos, procuramos outros espaços maiores, como o Parque das Hortênsias, por exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARTICIPE, DEIXE SEU COMENTÁRIO

Concurso para Guarda Municipal de Curitiba, Clique logo abaixo: