História e Conhecimentos Gerais da cidade de Curitiba "para concursos".

2
 A capital do Paraná, então tranquila, com ares provincianos e áreas de perfil rural dentro de seu perímetro, transformou-se numa cidade totalmente urbanizada, moderna e cheia de oportunidades. Uma metrópole com 1,8 milhão de habitantes que é a sétima cidade mais opulosa do Brasil Capital do Paraná, estado localizado no Sul do País, Curitiba foi fundada em 1693 e desde então recebeu várias levas de imigrantes de várias nacionalidades – o que se reflete hoje em sua arquitetura, culinária, nas artes e em outros aspectos culturais.

Situada a 934 metros de altitude em relação ao nível do mar, a cidade ocupa uma superfície de 432,17 quilômetros quadrados. Tem clima temperado, com temperaturas médias de 21° C no verão e 13° C no inverno e precipitação média anual de 1.413 milímetros.

É a cidade polo do conjunto de 26* municípios que formam a Região Metropolitana de Curitiba. Com uma área de 16.627 quilômetros quadrados, essa região abriga uma população de aproximadamente 3,2 milhões de habitantes e está situada na porção leste do Estado, limitando-se ao norte com o Estado de São Paulo, ao sul com o Estado de Santa Catarina, a leste com a Serra do Mar e a oeste com o segundo planalto paranaense. 

*Existem divergências em relação ao numero de cidades que pertencem a região metropolitana de Curitiba, algumas fontes informam que são26 outras 29 cidades, mas o correto é 29.

Dá para conhecer Curitiba pelas marcas de seus três planos urbanos de massa: a cidade reta do francês Taulois, de 1857; a cidade radial do francês Agache, nos anos 1940; e a cidade linear outra vez do Plano Diretor, de 1965.

Curitiba não tem mar, mas apresenta um mar de verde na sua vasta oferta de parques e bosques municipais. São mais de 30, todos implantados a partir de 1972, à exceção do Passeio Público, no coração da cidade, inaugurado em 1886. Eles aliam saneamento com preservação ambiental e lazer cultural.

O parque mais frequentado é o Barigui; o mais famoso é o Jardim Botânico, com sua estufa que vira farol à noite. Há ainda os que remetem à memória do mapa humano: o polaco Bosque do Papa e os bosques Alemão e de Portugal, os parques Ucraniano e dos Tropeiros e monumentos a outras etnias em bosques e praças da cidade. Ah, Curitiba tem um bairro inteiro formado pelos italianos, alegre, colorido, com artesanato, música, dança e culinária oriundos da velha Bota. Não por acaso, se chama Santa Felicidade, formado em torno de uma Igreja Matriz de torre lateral, separada da nave

 Economia e renda

A renda per capita anual em Curitiba fica em torno de 7.825 dólares. A cidade tem Produto Interno Bruto (PIB) equivalente a 2,37 bilhões de dólares.

Desde sua fundação, em 1693, Curitiba viveu muitos ciclos econômicos. Sua economia já foi sustentada, em diferentes períodos, pela mineração, pelo tropeirismo (movimento das tropas que se deslocavam pelo Caminho do Viamão, levando gado do Rio Grande do Sul até Sorocaba, em São Paulo), pela erva-mate, madeira e café.

Hoje, a maior parcela das riquezas produzidas na cidade vem do setor de serviços. Mas Curitiba abriga também um pólo industrial forte, formado por empresas de vários portes e segmentos. Também investe fortemente em tecnologia, pesquisa e inovação.

Porém a maior riqueza da cidade é sua população – cidadãos originários de inúmeras etnias e de todo canto deste vasto Brasil, que formam uma unidade feita das diferenças.

Metrópole:

A capital paranaense é a mais populosa do Sul do país, com quase 1,8 milhão de habitantes, e fica no centro de uma região metropolitana que é a quarta no ranking de contribuição para o PIB (Produto interno Bruto) brasileiro.

Linha Turismo:


A Linha Turismo é uma linha de ônibus especial que circula nos principais pontos turísticos de Curitiba. Com ela, é possível conhecer os parques, praças e atrações da cidade. Considerada uma das melhores do país, a Linha Turismo circula a cada trinta minutos, percorrendo aproximadamente 45 km em cerca de duas horas e meia.

O roteiro começa na Praça Tiradentes, mas é possível iniciar o trajeto em qualquer um dos pontos.

Principais pontos turísticos:

Praça Tiradentes: Marco zero da cidade, abriga a Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

 

Rua das Flores: Trecho da principal rua de Curitiba, foi o primeiro calçadão para pedestres do país e um dos marcos da revolução cultural da cidade.

 

Rua 24 Horas: A rua que nunca fecha. Atrai curitibanos e turistas que buscam lazer, compras e opções gastronômicas.



 

Museu Ferroviário: Construído na antiga estação, conta a história ferroviária do estado. O prédio anexo abriga o Shopping Estação, o Museu da Farmácia, o Teatro de Bonecos e o Estação Embratel Convention Center, um moderno centro de eventos.

Teatro Paiol: Construído em 1906, o antigo paiol de pólvora foi reciclado para se tornar teatro de arena em 1971. Batizado pelo poeta Vinícius de Moraes, marca o início da transformação de Curitiba.

Jardim Botânico: Marca registrada de Curitiba, foi inaugurado em 1991. A estrutura metálica abriga espécies botânicas de referência nacional. O Museu Botânico atrai pesquisadores do mundo todo.

Rodoferroviária: A Rodoferroviária de Curitiba, inaugurada em 1972, representa um marco no país em terminais de transporte, graças à sua concepção moderna e funcional. O Mercado Municipal é o tradicional ponto para comprar iguarias de todo o mundo. 


Teatro Guaíra - Universidade Federal do Paraná: Na Praça Santos Andrade localiza-se o Teatro Guaíra, um dos maiores da América Latina. 


À sua frente, do outro lado da praça, encontra-se a Universidade Federal do Paraná, a primeira do Brasil.

 




Paço da Liberdade: Recentemente restaurado, foi sede do governo municipal. É o único patrimônio de Curitiba tombado nas três esferas: nacional, estadual e municipal, e atualmente abriga um centro cultural.

Antiga  Prefeitura de Curitiba que ocupava o prédio histórico do atual Paço da Liberdade na Praça Generoso Marques, de 6 de fevereiro de 1916 a 13 de novembro de 1969.



Memorial Árabe: Situado na Praça Gibran Khalil, é uma construção moderna, inspirada nos povos do deserto, e
seu interior abriga uma biblioteca.


O Passeio Público foi o primeiro parque público e o primeiro zoológico de Curitiba. No início abrigava animais de grande porte, porém, atualmente, só existem animais pequenos.



Centro Cívico: Sede dos Poderes do Estado do Paraná, foi implantado em 1953, no centenário da emancipação política do estado,
O Palácio 29 de Março é a sede atual da Prefeitura Municipal de Curitiba.
Antes da inauguração do Palácio 29 de Março, a Prefeitura de Curitiba ocupava o prédio histórico do atual Paço da Liberdade na Praça Generoso Marques, de 6 de fevereiro de 1916 a 13 de novembro de 1969.

 
Museu Oscar Niemeyer: Maior e mais moderno museu do Brasil. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o "olho" completa uma antiga obra que ele mesmo construiu, em 1976.

Bosque do Papa: Memorial da imigração polonesa, é composto por sete casas feitas de troncos encaixados. Foi inaugurado em 1980, logo após a visita do Papa João Paulo II a Curitiba.

Bosque Alemão: Bosque em homenagem aos imigrantes alemães. Entre os destaques, a trilha de João e Maria, dos contos dos irmãos Grimm, a Casa Encantada, o oratório Bach e a Torre dos Filósofos, com uma bela vista de Curitiba. 

Universidade Livre do Meio Ambiente (U.L.M.A): Primeira universidade criada para estudar o desenvolvimento com preservação ambiental. Foi inaugurada em 1992, com a presença do oceanógrafo Jacques Costeau.

Parque São Lourenço: Uma antiga fábrica de cola deu lugar ao Centro de Criatividade, que oferece cursos, oficinas e exposições. O parque também possui uma pista de corrida e um lago cercado por mata nativa.


Ópera de Arame: Construída em estrutura tubular, a Ópera de Arame é um espaço mágico integrado à natureza. Ao seu lado, a Pedreira Paulo Leminski é palco de grandes acontecimentos artísticos e culturais. 

Parque Tanguá: Exemplo de reaproveitamento do espaço urbano. Com 450 mil m² de área, foi construído no lugar de antigas pedreiras. Destaque para o túnel que atravessa a rocha, unindo os dois lagos.




Parque Tingui: O Parque Tingui lembra os primeiros ocupantes dos Campos de Curitiba, os índios da nação Guarani.

 

Memorial Ucraniano: O Memorial Ucraniano está localizado no Parque Tingui, e é uma homenagem ao centenário da chegada dos pioneiros da etnia. Com cúpula de bronze, o memorial é uma réplica da Igreja de São Miguel, na Serra do Tigre, em Mallet. 


Portal Italiano: O Portal italiano sinaliza a entrada do bairro de Santa Felicidade e reproduz as edificações típicas da imigração italiana do bairro.

 

Santa Felicidade: Colônia formada em 1878 por imigrantes italianos. É o principal eixo gastronômico de curitiba. As casas típicas são unidades de interesse de preservação pelo valor histórico, arquitetônico ou sentimental.

Parque Barigui: Implantado em 1972, é um dos maiores da cidade, sendo refúgio de diversos animais nativos e migratórios. Também foi escolhido pelos curitibanos como um dos preferidos para as caminhadas diárias. O parque possui equipamentos de ginástica e parque de diversões, além de um espaço para exposição e eventos. É onde se localiza o Museu do Automóvel.

  Torre Panorâmica Brasil Telecom: Única torre de telefonia do Brasil com mirante aberto a visitação. Com 109,5 metros de altura, foi inaugurada em 1991 e é um dos pontos turísticos mais visitados de Curitiba. O mirante oferece uma vista de 360º da cidade.

  Setor Histórico: O Setor Histórico abriga as ruínas da Igreja de São Francisco de Paula, nunca concluída, o Relógio das Flores, a Fonte da Memória a Fundação Cultural de Curitiba, antigos casarões transformados em espaços culturais e a Igreja do Rosário, onde é celebrada, aos domingos pela manhã, a Missa do Turista. Também aos domingos, acontece a feira de artesanato, ponto de encontro dos curitibanos. Um dos destaques do setor histórico é o Memorial de Curitiba.

Inaugurado em 1996, o Memorial da Cidade de Curitiba é um espaço dedicado à memória, às artes e à cultura da cidade. O público pode assistir a apresentações musicais, ver exposições de arte, peças de teatro ou participar de palestras.

O projeto dos arquitetos Fernando Popp e Valéria Bechara, destaca-se entre as antigas construções do Setor Histórico, pelo seu estilo arrojado. O prédio tem quatro pavimentos e um terraço. Sua estrutura emprega aço e concreto, com cobertura de vidros laminados.

As instalações do Memorial, com cinco mil metros quadrados de área, conta com três salas para exposições, o Teatro Londrina e uma praça ampla no térreo que permite realizar eventos.

Parque do Iguaçu

e Zoológico



Considerado o maior parque urbano do Brasil, o Parque Regional do Iguaçu ocupa 8 milhões de m² de área, na região sul-sudeste de Curitiba.
O Parque do Iguaçu foi criado em 1982 para preservar o santuário ecológico do Local. O Parque é cortado pelo rio Iguaçu que forma campos inundados e matas ciliares em suas margens. Bosques naturais completam a paisagem.
É um Parque com muitas atrações, além do Zoológico. Possui um setor náutico, com raias de remo. Um setor pesqueiro e estação de piscicultura. Praia fluvial. Pomares públicos. E um setor de esportes com quadras esportivas, equipamentos de recreação e um estádio de beisebol.
O Parque também conta com, churrasqueiras, quiosques, lanchonetes e a Casa do Acantonamento, ond

O Zoológico de Curitiba O Zôo abriga cerca de 80 espécies de animais de várias partes do mundo. Busca-se um ambiente mais próximo possível do habitat natural de cada espécie. Está instalado em uma área de mata nativa de 530 mil m², onde se faz pesquisa e serve como centro de reprodução de animais em cativeiro.

                      : O Perfil de Curitiba  :


Curitiba é a capital do Paraná, um dos três Estados que compõem a Região Sul do Brasil. Sua fundação oficial data de 29 de março de 1693, quando foi criada a Câmara.

No século XVII, sua principal atividade econômica era a mineração, aliada à agricultura de subsistência.O ciclo seguinte, que perdurou pelos séculos XVIII e XIX, foi o da atividade tropeira, derivada da pecuária. Tropeiros eram condutores de gado que circulavam entre Viamão, no Rio Grande do Sul, e a Feira de Sorocaba, em São Paulo, conduzindo gado cujo destino final eram as Minas Gerais. O longo caminho e as intempéries faziam com que os tropeiros fizessem invernadas, à espera do fim dos invernos rigorosos, em fazendas como as localizadas nos "campos de Curitiba". Aos tropeiros se devem costumes como o fogo de chão para assar a carne e contar "causos", a fala escandida - o sotaque leitE quentE -, o chimarrão (erva-mate com água quente, na cuia, porque os índios a utilizavam na forma de tererê, com água fria), o uso de ponchos de lã, a abertura de caminhos e a formação de povoados.

No final do século XIX, com o ciclo da erva-mate e da madeira em expansão, dois acontecimentos foram bem marcantes: a chegada em massa de imigrantes europeus e a construção da Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba, ligando o Litoral ao Primeiro Planalto paranaense.

Os imigrantes - europeus e de outros continentes -, ao longo do século XX, deram nova conotação ao cotidiano de Curitiba. Seus modos de ser e de fazer se incorporaram de tal maneira à cidade que hoje são bem curitibanas festas cívicas e religiosas de diversas etnias, dança, música, culinária, expressões e a memória dos antepassados. Esta é representada nos diversos memoriais da imigração, em espaços públicos como parques e bosques municipais.

A "mítica imigrante do trabalho" (observação do poeta Paulo Leminski, falecido no século passado) aliada a gestões municipais sem quebra de continuidade, acabou criando uma Curitiba planejada - e premiada internacionalmente, em gestão urbana, meio ambiente e transporte coletivo.

A capital do Estado do Paraná, formada num altiplano 934 metros acima do nível do mar, carente de marcos de paisagem oferecidos pela natureza, acabou criando suas principais referências pela ciência e pela mão humana.

No século XX, no cenário da cidade planejada, a indústria se agregou com força ao perfil econômico antes embasado nas atividades comerciais e do setor de serviços. A cidade enfrentou, especialmente nos anos 1970, a urbanização acelerada, em grande parte provocada pelas migrações do campo, oriundas da substituição da mão-de-obra agrícola pelas máquinas.

Curitiba enfrenta agora o desafio de grande metrópole, onde a questão urbana é repensada sob o enfoque humanista de que a cidade é primordialmente de quem nela vive. Seu povo, um admirável cadinho que reuniu estrangeiros de todas as partes do mundo e brasileiros de todos os recantos, ensina no dia-a-dia a arte do encontro e da convivência. Curitiba renasce a cada dia com a esperança e o trabalho nas veias, como nas alvoradas de seus pioneiros.

DADOS DA CIDADE DE CURITIBA

Altitude: 945 m
Área: 434,967 km²
Área verde por habitante: 51 m²
Bairros: 75
Clima: Subtropical
Extensão Norte-Sul: 35 Km
Extensão Leste-Oeste: 20 Km
Fuso Horário: Brasília (UTC-3)
Gentílico: curitibano
Latitude: 25º25'48'' Sul
Longitude: 49º16'15'' Oeste
Pluviosidade: 1500 mm/ano
População: 1.851.215 habitantes (IBGE/2009)
Relevo: Levemente ondulado
Temperatura média no verão: 21 ºC
Temperatura média no inverno: 13 ºC

DISTÂNCIAS DE CURITIBA

Aracaju 2595 Km
Belém 3193 Km
Belo Horizonte 1004 Km
Boa Vista 4821 Km
Brasília 1399 Km
Campo Grande 1006 Km
Cuiabá 1718 Km
Florianópolis 310 Km
Fortaleza 3541 Km
Goiânia 1210 Km
João Pessoa 3205 Km
Maceió 2871 Km
Manaus 4036 Km
Natal 3365 Km
Palmas 2076 Km
Porto Alegre 716 Km
Porto Velho 3135 Km
Recife 3078 Km
Rio Branco 3669 Km
Rio de Janeiro 852 Km
Salvador 2385 Km
São Luís 3301 Km
São Paulo 408 Km
Teresina 3143 Km
Vitória 1359 Km

Símbolos da Cidade de Curitiba


Bandeira Municipal
Lei Municipal nº 2993 de 11/05/1967

Bandeira Municipal
Artigo 6º - A Bandeira Municipal será oitavada, em cor verde, formando as oitavas figuras geométricas trapezoidais, constituídas por oito faixas vermelhas carregadas por oito faixas brancas, dispostas duas a duas no sentido horizontal, vertical em banda e em barra, que partem de um retângulo branco central, onde é plicado o brasão.

§ Único - O Brasão no centro da Bandeira simboliza o Governo Municipal e o retângulo no qual é aplicado representa a própria cidade sede do Município. As faixas simbolizam o Poder Municipal que se expande à todos os quadrantes do território e as oitavas (figuras geométricas trapezoidais) assim constituídas, representam as propriedades rurais existentes no território municipal.

Artigo 7º - Em conformidade às regras heráldicas, nas reproduções, a Bandeira terá as dimensões oficiais adotadas para a Bandeira Nacional, levando-se em consideração nove módulos de altura por treze de comprimento.
§ Único - A Bandeira Nacional poderá ser reproduzida em bandeirolas de papel nas comemorações de efemérides, obedecendo-se sempre, os módulos e cores heráldicas.

Brasão Municipal de Curitiba
Brasão Municipal de Curitiba
Artigo 19º - O Brasão do Município de Curitiba, será um escudo clássico flamengo ibérico, encimado pela coroa mural que a classifica com a 1º grandeza (Capital), das quais apenas cinco, são visíveis em perspectiva, representada pela cor do metal ouro. Em campo de goles, um pinheiro de prata, posto em abismo. Como suporte à dextra, hastes de trigo ao natural e a sinistra um ramo de pâmpanos, também ao natural, entrecruzados em ponta sobre os quais se sobrepõe um listel de goles, contendo em letra de prata data de "29 de março de 1693, fundação da Vila de Curitiba".
§ Único - O Brasão em conformidade à heráldica, deverá em qualquer reprodução ter sete módulos de largura por oito de altura tomados do escudo.



Hino Municipal de Curitiba
playESCUTAR MP3

Letra: Ciro Silva
Música: Bento Mossurunga

I
Cidade linda e amorosa da terra de Guairacá.
Jardim luz, cheio de rosa Capital do Paraná.
Pela ridente paisagem
Pela riqueza que encerra,
Curitiba tem a imagem
Dum paraíso na terra.
II
Viver nela é um privilégio
Que goza quem n’ela está.
Jardim luz, cheio de rosa.
Capital do Paraná.
Pérola deste planalto
Toda faceira e bonita.
Na riqueza e na opulência
Vive, resplande, palpita
III
Subindo pela colina
Altiva sempre será.
Jardim luz cheio de rosa
Coração do Paraná.
Salve! cidade querida
Glória de heróis fundadores.
Curitiba, linda jóia
Feita de luz e de flores.

Sedes do Poder Municipal

Antes de ter prefeitos, Curitiba teve Câmara. A primeira Câmara foi constituída em 29 de março de 1693 e marca a fundação oficial da vila, depois cidade.

O cargo de prefeito passou a existir no século XIX, em duas oportunidades bem distintas. A primeira foi em 1835, durante o regime monárquico, quando o presidente da Província de São Paulo, da qual Curitiba era Comarca, assinou a Lei 18, nomeando José Borges de Macedo. Ele governou até 1838 - quando o novo presidente da Província de São Paulo assinou a Lei 95, extinguindo o cargo.

A segunda vez que Curitiba teve prefeito foi em 1892, já na República, quando foi eleito Cândido Ferreira de Abreu.

Na maior parte de sua história, portanto, Curitiba foi administrada pela Câmara Municipal, que, bem como a Prefeitura, teve vários endereços ao longo do tempo:

1721 - construção da primeira Casa da Câmara de Curitiba, por ordem do ouvidor Raphael Pires Pardinho, no largo da Matriz, atual Praça Tiradentes, próxima ao pelourinho.

O edifício foi demolido em 1896. Ocupou várias salas e casas, entre elas uma sala na igreja matriz.

1835 a 1850 - A Câmara Municipal de Curitiba tinha sede ora nos corredores da Matriz ora nos consistórios da Capela de São Francisco de Paula, onde por vezes deixou de realizar as suas sessões devido às chuvas, pois que a sala das sessões ficava muito longe da Vila. Há registros de que, "em 12 de março de 1851, reuniu-se na sala da casa do alferes Borges de Macedo, por se acharem ocupadas as duas salas do edifício que serve de Sessões, uma com o conselho de qualificação e outra com o Liceu".

1850 - funcionou no prédio da Câmara e cadeia velha, inaugurado em julho de 1850 por José Borges de Macedo, na ocasião presidente da Câmara, em local onde é hoje a Praça Borges de Macedo.

1894 - prédio situado na Praça Carlos Gomes.

1895 - prédio situado na Praça Tiradentes.

1897 - a cadeia pública serviu de Câmara de Vereadores de 1897 a 1900.

1900 a 1908 - a Câmara se instalou na face sul da Praça Tiradentes.


Relação dos Prefeitos de Curitiba, Não é necessário decorar, apenas para informação, dificilmente vai aparecer em prova de concurso.



José Borges de Macedo 1835 a 1838 1° Prefeito de Curitiba
Cândido Ferreira de Abreu 1892 a 1894 
Guilherme Xavier de Miranda 1894  
Cyro P. Veloso 1895  
Jorge Hermano Meyer 1896  
Cícero Gonçalves Marques 1896  
Ignácio de Paula França 1897 Interino
Manoel José Gonçalves 1897 a 1898 Interino
Cícero Gonçalves Marques 1897 a 1900  
Arthur de Souza Ferreira 1900 Vice Presidente da Câmara
Luiz Antonio Xavier 1900 a 1907  
Antonio Rodrigues da Costa 1907 a 1908  
Joaquim Pereira de Macedo 1908 a 1912  
João Antonio Xavier 1912  
Cândido Ferreira de Abreu 1913 a 1916  
João Antonio Xavier 1916  
Claudino R. F. dos Santos 1916  
João Antonio Xavier 1917 a 1920  
Percy Withers 1920  
João Moreira Garcez 1920 a 1924  
João Moreira Garcez 1924 a 1928  
Eurides da Cunha 1928 a 1930  
Joaquim Pereira de Macedo 1930 a 1932 Outubro/1930 a Janeiro de/1932
Avelino Lopes 1932 Substituto Janeiro/Março
João Lothário Meissner 1932 a 1937 Fevereiro/1932 a junho de 1937
Nicolau Mader Junior 1937 Substituto Junho/1937
Aluizio França 1937 Junho/1937 a Setembro/1937
Carlos Heller 1937 a 1938 Setembro/1937 a Janeiro/1938
Oscar Borges 1938 Fevereiro/1938 a Abril/1938
João Moreira Garcez 1938 a 1940 Maio/1938 a Julho/1940
Angelo Lopes 1940  
Rozaldo Gomes de Mello Leitão 1940 Setembro/1940
Alexandre Beltrão 1943 a 1944  
Arnaldo Izidoro Beckert 1944 Resp. Expediente
João Macedo Souza 1945 Resp. Expediente
Alô Guimarães 1945  
Algacyr Munhoz Maeder 1945  
João Macedo Souza 1946  
Angelo Lopes 1947  
Raul de Azevedo Macedo 1947  
João Kracik Netto 1947 Resp. Expediente
João Macedo Souza 1947 Resp. Expediente
João Kracik Netto 1948 Resp. Expediente
Ney Leprevost 1948  
Lineu do Amaral 1949 a 1951  
Amâncio Moro 1951  
Ernani Santiago de Oliveira 1951  
Wallace Tadeu de Mello e Silva 1951  
Erasto Gaertner 1951 a 1953  
Mario Afonso Alves de Camargo 1952 Resp. Expediente
João Stival 1952 Resp. Expediente
Milton Anselmo da Silva 1953 Resp. Expediente
Dr. José Luis Guerra Rêgo 1953 a 1954  
Ernani Santiago de Oliveira 1954  
Ney Amintas de Barros Braga 1954 a 1958 15/11/54 a 15/11/58
Aristides Simão 1958 Fev-1958 - Presidente da Câmara
Elias Karam 1958 Julho/Agosto - Vice Presidente da Câmara
Edmundo Leinig Saporski 1958 Agosto a Outubro – 2º Vice Presidente da Câmara
Elias Karam 1958 Setembro a Outubro – Vice Presidente da Câmara
Iberê de Mattos 1958 a 1961 15/11/58 a 15/11/61
Aristides Athayde Junior 1961 20 a 23 Janeiro - Presidente da Câmara
Erondy Sivério 1961 20/Fevereiro a 11/Março
Erondy Sivério 1962 28/Agosto a 08/Outubro
Ivo Arzua Pereira 1962 a 1966 15/11/62 a 16/11/66
Erondy Sivério 1966 16/11/66 a 01/12/66
Ivo Arzua Pereira 1966 a 1967 01/12/66 a 14/03/67
Acyr Haffez José 1967 14/03/67 a 22/03/67 – Presidente da Câmara
Omar Sabbag 1967-1971 22/03/67 a 15/03/71
Edgar Dantas Pimentel 1971 16/03 a 21/03 - Substituto
Jaime Lerner 1971 a 1974  
Donato Gulin 1974 Presidente da Câmara
Saul Raiz 1975 a 1979  
Jaime Lerner 1979 a 1983  
Maurício Fruet 1983 a 1985 

Roberto Requião de Mello e Silva 1986 a 1988 1º Prefeito Eleito

Jaime Lerner 1989 a 1992  

Rafael Greca de Macedo 1993 a 1996
  
Cassio Taniguchi 1997 a 2000; 2001-2004 Reeleito em 2001

Carlos Alberto Richa (Beto Richa) 2005-2008; 2009-2010 Eleito em 2004

Luciano Ducci 2010-2012 Continuidade do mandato de Beto Richa

Gustavo Bonato Fruet 2013-2016 Eleito no 2º turno em 2012

ORIGEM DO NOME DA CIDADE:

Em 29 de março de 1693, o capitão-povoador Matheus Martins Leme, ao coroar os "apelos de paz, quietação e bem comum do povo", promoveu a primeira eleição para a Câmara de Vereadores e a instalação da Vila, como exigiam as Ordenações Portuguesas. Estava fundada a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, que depois se tornou Curitiba.

A mudança do nome da vila e da rotina do povoado veio em 1721, com a visita do ouvidor Raphael Pires Pardinho, hoje nome de praça na cidade. Ele foi, provavelmente, a primeira autoridade a se preocupar com o meio ambiente da cidade, iniciando uma tradição pela qual Curitiba hoje é reconhecida internacionalmente.

Já naquela época, o ouvidor determinou aos habitantes que tivessem determinados cuidados com a natureza. O corte de árvores, por exemplo, só poderia ser feito em áreas delimitadas. E os moradores ficavam obrigados a limpar o Ribeiro (hoje Rio Belém), a fim de evitar o banhado em frente à igreja matriz. O ouvidor Pardinho estabeleceu também que as casas não poderiam ser construídas sem autorização da Câmara e deveriam ser cobertas com telhas. As ruas já iniciadas teriam de ser continuadas, para que a vila crescesse com uniformidade.

Esquecida pelos governantes da Capitania de São Paulo, Curitiba passou por um período de extrema pobreza. A prosperidade só viria a partir de 1812, com o tropeirismo. Ponto estratégico do caminho do Viamão a São Paulo e às Minas Gerais, o povoado viu crescer o comércio com a passagem dos tropeiros.

O aluguel de fazendas para as invernadas transferia os habitantes do campo para o povoado. Surgiram lojas, armazéns e escritórios de negócios ligados ao transporte de gado. Junto com o desenvolvimento, em 1853 foi conquistada a emancipação do Paraná. Curitiba se tornou capital, dona de seu destino.

Curitiba é uma palavra de origem Guarani: kur yt yba quer dizer "grande quantidade de pinheiros, pinheiral", na linguagem dos índios, primeiros habitantes do território. Nos primórdios da ocupação humana, as terras onde hoje está Curitiba apresentavam grande quantidade de Araucaria angustifolia, o pinheiro-do-Paraná. A árvore adulta tem a forma de uma taça. Sua semente é o pinhão, fonte de proteína e alimento de grande consumo, in natura ou como ingrediente da culinária regional paranaense. O pinhão servia de alimento a um pássaro também encontrado em grande quantidade no começo da ocupação do território: a gralha-azul (Cyanocorax caeruleus). De corpo azulado e cabeça preta, a gralha-azul, diz uma lenda, colhia o pinhão com o bico e o enterrava no solo para consumo posterior. Desses pinhões enterrados acabavam nascendo novos pinheiros.

Confira algumas das ruas com nomes de datas e os seus significados.

Rua 24 de Maio – Centro*

- Data em que ocorreu a Batalha do Tuiuti na Guerra do Paraguai. Conforme o texto da lei, “às 11 horas da manhã deste dia, o exército brasileiro foi atacado de surpresa. A luta demorou mais de cinco horas, chegando ao seu final com mais uma vitória brasileira”.

Rua 13 de Maio – São Francisco*

- A princesa Isabel assinou a Lei Áurea, decretando a abolição da escravatura no Brasil.

Rua 7 de Abril – Juvevê*

- Dom Pedro I abdicou do trono de imperador do Brasil em favor de seu filho, dom Pedro II.

Rua XV de Novembro – Centro*

- Homenagem à proclamação da República do Brasil, em 1889.

Rua 21 de Junho – Capão da Imbuia.

- Lei Ordinária 3.946/71. Homenagem ao tricampeonato mundial da Seleção Brasileira de Futebol, conquistado na Copa do México, em 1970.

Rua 5 de Maio – Alto Boqueirão.

- Lei Ordinária 6.348/82. Uma alusão ao Dia do Expedicionário.

Avenida 7 de Setembro – Batel*.

- Data em que o Brasil declarou Independência de Portugal, em 1822.

Rua 7 de Maio – Alto Boqueirão.

- Lei Ordinária 6.348/82. Trata-se de uma celebração ao Dia da Vitória, comemorado na data em que se encerrou a Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Rua 28 de Outubro – Santa Felicidade

- Lei Ordinária 4.273/72. Criada em homenagem ao Dia do Funcionário Público.

Rua 11 de Agosto – Xaxim

- Lei Ordinária 5.698/77. Uma celebração aos 150 anos do Decreto Constitucional que criou os cursos jurídicos no Brasil, sancionado pelo Imperador dom Pedro I.

Rua 15 de Outubro – Cajuru

- Lei Ordinária 4.347/72. Uma comemoração ao Dia do Professor.

Praça 29 de Março – Mercês

- Lei Ordinária 2.119/62. O nome da praça homenageia a data em que Curitiba foi fundada, em 1693.

Praça 19 de Dezembro – Centro*.

- Um registro à Emancipação Política do Paraná, conquistada em 1853.

No ordenamento jurídico brasileiro, a Lei Orgânica pode ser:

  • A lei maior de um município ou do Distrito Federal;
  • A lei que disciplina o funcionamento de uma categoria específica de alguns dos poderes (Lei Orgânica da Magistratura, Lei Orgânica do Ministério Público, etc.) - não apenas no Brasil, mas em diversos países.
No caso brasileiro, a lei orgânica municipal está sob dupla subordinação, uma vez que está subordinada sobretudo pela Constituição Federal bem como pela Constituição Estadual, decorrente do poder constituinte derivado decorrente


A Lei Orgânica é uma lei genérica, elaborada no âmbito do município e conforme as determinações e limites impostos pelas constituições federais e do respectivo estado, aprovada em dois turnos pela Câmara Municipal, e pela maioria de dois terços de seus membros.
No êxito municipal brasileiro a Lei Orgânica foi aprovada em dois anos após a promulgação das constituições estaduais, que por sua vez tiveram um prazo de três anos para serem aprovadas, depois da promulgação da Constituição de 1946 e mantida pelas constituições posteriores.


Testes para baixar, basta clicar, só baixe o gabarito após realizar o teste, não engane a si mesmo.
ATENÇÃO É NECESSÁRIO TER OFFICE WORD OU SIMILAR INSTALADO EM SEU PC.

Conhecimentos Gerais sobre Curitiba 1º

 Gabarito teste de Conhecimento Curitiba 1º




9 comentários:

  1. muito legal reviver a historia de nossa cidade!!

    ResponderExcluir
  2. quando que vai sair o edital do concurso da gm...sou vigilante vou fazer o concurso...obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo tá enrolado, mas logo tem que sair, já foi aprovado, banca escolhida e tudo mais, mas dependemos de detalhes dos quais não tenho conhecimento.

      Excluir
  3. COMO ASSIM BANCA ESCOLHIDA ESCLAREÇA,,,CARLA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou um Por favor, ou fazendo um favor na sua pergunta, sua pergunta já está fora de questão, pois todos já sabem qual é a banca e o concurso já está em andamento, abraços.

      Excluir
  4. Ola Sr Reginaldo acompanho seu blog e sua pagina no face, o que o senhor faz em dividir seus conhecimentos é de grande valia ! Meus parabéns!! Estou me preparando com o material o qual está sempre postando para o concurso!! Espero poder tbm fazer parte dessa irmandade!

    ResponderExcluir

PARTICIPE, DEIXE SEU COMENTÁRIO

Concurso para Guarda Municipal de Curitiba, Clique logo abaixo: